segunda-feira, maio 09, 2005

Empty Days, Empty Mind

Que raiva sinto ao acordar,
Nestes dias em que a mente parece estaguenar
Que raiva sinto em querer, e em tentar
Mas no fundo sei, que apenas irei fracassar
Nestes dias, que estranho me sinto
Nestes dias, em que o corpo apenas sente
A dormencia, do parar da mente

E mais nao vou dizer, porque sei que minto
Se disser que afinal ainda sinto,
Que afinal, isto é apenas um só poema e nada mais
Que no fundo nada disto será verdade
apenas ilusoes, de um louco que diz coisas tais
que pensa, saber toda a verdade,
Que diz num braço ter a alegria,
e noutro a eterna saudade
E ainda assim é apenas uma triste sinfonia
Uma triste canção abandonada
Que alguém alguma vez escutou
Um ser triste que ninguem amou
por não ser mais do que um mero misterio, inexplicavel
Uma mera coisa que ninguém tentou tornar aceitavel...
Coisa essa que habita agora numa realidade alterada
Que apenas se vislumbra, em dias em que ceu parece querer desabar
Em momentos, em que todos nos queremos sem duvida, morrer, ou matar!


Ruben Salazar
09/05/05

(às vezes mais valia estar quieto)

1 comentário:

irina disse...

Se eu poder escrever assim quando não estou com inspiração!...
É muito bonito, mas não quero que termine com a morte... A vida não termina. Ainda se nos não vivemos mais nessa terra.
Espero que a sua tristeza não dure muito, é que não esteja causada por algo concreto...