quarta-feira, julho 13, 2005

...

encontro-me contigo no escuro,
para que te possa ter presente,
para que te olhe sem te reconhecer
para que não saiba quem no fundo és

O que esperas para me visitar?
porque não me deixas sonhar?
guardo-te a recodação da ultima visita
quando me feriste, quando me iludiste
quando me cegaste e em seguida partiste
e ainda assim te pergunto porque tardas em me visitar?

Guardo mil palavras para te contar
e tu não me queres ouvir
guardo mil sonhos e mil e um sonhares
e ainda assim não consigo dormir
Quero-te tanto, mais do que da ultima vez
E ainda assim não te consigo amar,
porque o amor, tarda em chegar,
porque o amor, não me quer visitar,
porque o amor, me esqueceu...
e eu nada fiz para ele voltar.


Eu sei que este poema é quase o contrário do anterior, mas a verdade é que foi escrito num momento de pura inspiração e sinceramente gostei bastante do resultado final. Contudo não sei o que lhe hei-de colocar como titulo. Será que me poderiam dar uma ajudinha?

3 comentários:

irina disse...

O poema sem titulo...

Milocas disse...

Adorei ;)... Deixa-o assim como está! As reticências são um excelente título. Beijinhos *

ruben disse...

Talvez tenhas razão...Eu sinceramente adoro reticencias...lol

Obrigado às duas :)