sexta-feira, julho 01, 2005

Vida

Adormeci num eterno sossego
Nasceu em mim a vontade
Incontornavél do querer despertar
Deste malevolo sono de morcego
Que me faz viver na ilusão da saudade
Na vertiginosa verdade da realidade
Onde nada posso ter, mas onde tudo posso encerrar
Numa aprisionada convicção da dúvida
Numa afastada certeza da razao
E quando ninguém mais tiver consideração
por si mesmo chegarão a esta sordida
mas decisiva conclusão:
A vida errante não mais é do que subsitir
E que desta forma viver não mais é que existir.

In: Ruben & Friends poetry page --> nunca chegou a ser acabada, pus lá alguns poemas meus e prontos...talvez um dia a acabe, quem sabe?!

2 comentários:

milocas disse...

Bem, fui lá espreitar, e a ideia tava muito gira, pena não terem continuado ;)

ruben disse...

foi mesmo a falta de paciencia para continuar...Talvez nas ferias o acabe :)