sexta-feira, setembro 23, 2005

...

Há tempo para tudo, (ou quase tudo), a mudança compõe grande parte do nosso tempo, por isso e porque cada vez mais me distancio do blog, resolvi dar um tempo também ao blog, para que eu mude, para que me expresse de outra forma, para que veja as coisas em sentidos diferentes, em sentidos mais amplos, mais criativos...Para que alargue os meus horizontes, para não deprimir em casa todos os dias enquanto espero que alguem aqui venha dizer talvez uma palavra amiga...Por isso vou dar um tempo, talvez venha com coisas novas, pelo menos é esse o objectivo.

Deixo aqui como jeito de despedida (talvez breve) um poema de um dos meus escritores favoritos (Mario De Sá Carneiro):

Além Tédio

Nada me expira já, nada me vive.-
Nem a tristeza nem as horas belas.
De as não ter e de nunca vir a tê-las,
Fartam-me até as coisas que não tive.

Como eu quisera, enfim, de alma esquecida,
Dormir em paz num leito de hospital...
Cansei dentro de mim, cansei a vida
De tanto a divagar em luz irreal.

Outrora imaginei escalar os céus
À força de ambição e nostalgia,
E doente-de-Novo, fui-me Deus
No grande rastro fulvo que me ardia.

Parti. Mas logo regressei à dor,
Pois tudo me ruiu... Tudo era igual:
A quimera, cingida, era real,
A própria maravilha tinha cor!

Ecoando-me em silêncio, a noite escura
Baixou-me assim na noite sem remédio;
Eu próprio me traguei na profundura,
Me sequei todo, endureci de tédio.

E só resta hoje uma alegria:
É que, de tão iguais e tão vazios,
Os instantes me esvoam dia a dia,
Cada vez mais velozes, mais esguios...

in:Dispersão



PS- peço desculpa a algumas pessoas, em especial às que mais aqui vinham...Peço desculpa mas tenho que ter tempo, e o tempo aqui foge-me.

2 comentários:

irina disse...

Nao se preocupe, Ruben... Ja sei como e nao ter tempo... Vive mais, blogue menos... Escolha.

Idi disse...

Esta situación que escribes aquí he vivido en 2002.
Así me ha siento cuando estoy caído (caer) en gran pecado.
Ha durado uno o dos meses y después he sentido que he querido decir "perdón" a Jesus - y después esta tristeza ha desaparecido.